ATENÇÃO

Algumas atividades postadas neste Blog não são de minha autoria, tendo sido retiradas de várias fontes, tanto na Internet, quanto de livros. Caso encontrem aqui alguma atividade de sua autoria, ficarei imensamente feliz em dar os devidos créditos. Basta me enviarem comentários. Abraços!

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Resuminho muito bom sobre "A libertação dos escravos no Brasil." ; )


Saiba como ocorreu a liberação dos escravos no Brasil. Entenda desde o início o processo e as suas principais leis.
No início da colonização do Brasil, no século XVI, não havia trabalhadores para a realização de trabalhos manuais pesados. Os portugueses tentaram utilizar a mão de obra indígena nas lavouras, no entanto, não obtiveram sucesso em função dos religiosos católicos se posicionarem em defesa dos índios, condenando inclusive a sua escravidão.
Então os colonizadores portugueses decidiram trazer os negros da África, homens e mulheres para submetê-los à força, através do trabalho escravo no Brasil. Neste contexto é que se inicia a entrada de escravos africanos na colônia.

Como ocorria a escravidão no Brasil?
Os negros africanos que vieram trazidos da África eram transportados nos porões dos navios negreiros. Durante o trajeto, milhares morreram, em decorrência de atos de violência, fome e doenças durante o percurso até o Brasil.
Em solo brasileiro, os que chegassem vivos, eram comprados como mercadorias por fazendeiros e senhores de engenho, que os tratavam de forma cruel e violenta (em sua grande maioria).
A escravidão permaneceu no Brasil por quase 300 anos, tendo como principal fator o sistema econômico. A economia brasileira contava exclusivamente com o trabalho escravo dos negros para ser realizado.

Início do processo de liberação dos escravos
Por volta da segunda metade do século XIX surgiu o movimento abolicionista, que defendia a abolição da escravatura no Brasil. Este movimento teve como principal líder, Joaquim Nabuco.
Apenas no ano de 1870 a região Sul do Brasil passou a empregar trabalhadores assalariados, já na região Norte as usinas produtoras de açúcar substituíram os primitivos engenhos, fato que possibilitou o uso de um número menor de escravos.

Lei do Ventre-Livre
No ano de 1850 ocorreu a extinção do tráfico de escravos no Brasil, e no dia 28 de setembro de 1871 foi promulgada a Lei do Ventre-Livre. Esta lei tornava livre os filhos de escravos que nascesse a partir da decretação da lei.

Lei Saraiva-Cotegipe (Lei dos Sexagenários)
No ano de 1885 foi promulgada a lei Saraiva-Cotegipe, que beneficiava os negros com mais de 65 anos, em que a partir desta idade passariam a não ser mais considerados escravos.

Lei Áurea: libertação completa dos escravos
Somente no dia 13 de maio de 1888, ocorreu a liberdade total e definitiva dos negros no Brasil, através da promulgação da Lei Áurea.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Aumentativo e diminutivo

Para estudar

Lista de aumentativos


Substantivo
Aumentativo
Animal
Animalaço, animalão
Bala
Balaço
Barba
Barbaça
Barca
Barcaça
Barriga
Barriganha
Beiço
Beiçorra
Boca
Bocaça, bocarra, boqueirão
Buraco
Buracão
Cabeça
Cabeçorra
Caixa
Caixão
Calor
Calorão
Cão
Canaz, canzarrão
Carro
Carrão
Casa
Casarão, casona
Chapéu
Chapelão
Colher
Colheraça
Copo
Copázio
Corpo
Corpaço, corpanzil
Dedo
Dedão
Dente
Dentão, dentilhão, dentola
Faca
Facalhão, facalhaz, facão
Fatia
Fatacaz
Febre
Febrão
Forno
Fornaça, fornalha
Garrafa
Garrafão
Gato
Gatão, gatarrão, gatázio
Homem
Homão, homenzarrão
Ladrão
Ladravaz
Lata
Latão
Lenço
Lençalho
Livro
Livrão
Lixo
Lixão
Macaco
Macacão
Mamão
Mamãozão
Mão
Manopla, manzorra
Médico
Medicastro
Menino
Meninão
Mestre
Mestraço
Mulher
Mulheraça, mulherão, mulherona
Muro
Muralha
Nariz
Nariganga, narigão
Pão
Pãozão
Papel
Papelzão
Parede
Paredão
Pata (pé)
Patorra
Pezão
Pedra
Pedregulho, penedo
Peixe
Peixão
Perna
Pernaça
Poeta
Poetastro
Porta
Portão
Prato
Pratão, pratarraz
Prova
Provão
Rapaz
Rapagão
Rico
Ricaço
Rocha
Rochedo
Santo
Santarrão
Sapo
Sapão
Vaga
Vagalhão
Vidro
Vidraça
Vilão
Vilanaz
Voz
Vozeirão

Lista de diminutivos


Substantivos
Diminutivos
Aldeia
Aldeola, aldeota
Amigo
Amiguinho
Animal
Animalzinho, animalejo, animálculo
Árvore
Arvoreta, arvorezinha
Ave
Avezinha
Avô
Avozinho
Balde
Baldezinho
Bandeira
Bandeirinha, bandeirola
Barba
Barbicha, barbinha
Barca
Barquinha
Boca
Boquinha
Burro
Burrico
Cabra
Cabrita
Caderno
Caderninho
Café
Cafezinho
Caixa
Caixeta, caixinha, Caixola, caixote
Cama
Caminha
Câmara
Camarazinha, camarim
Cão
Canico, cãozinho, cãozito
Capa
Capinha
Carta
Cartinha
Casa
Casinha
Cela
Célula
Chácara
Chacarazinha, chacrinha
Chuva
Chuvisco
Copo
Copinho
Corpo
Corpete, corpinho, corpúsculo
Dente
Dentículo, dentinho
Espada
Espadim
Fazenda
Fazendola
Figo
Figuinho
Filho
Filhinho, filhote
Fio
Fiapo
Flor
Florzinha
Folha
Folícula
Fundo
Fundilho
Globo
Glóbulo
Gole
Golezinho
Gota
Gotícula
Grão
Grânulo
Herói
Heroizinho
Homem
Homenzinho, hominho, homúnculo
Igreja
Igrejola
Ilha
Ilhazinha
Índio
Indiozinho
Irmão
Irmãozinho
Lâmpada
Lampadazinha
Limão
Limãozinho
Livro
Livreto, livrinho, livrozinho
Lua
Luazinha
Lugar
Lugarejo
Macaco
Macaquinho, macaquito
Maestro
Maestrino
Mala
Maleta
Mão
Mãozinha
Menino
Menininho, meninote
Mesa
Mesinha
Namoro
Namorico
Nódulo, nozinho
Nome
Nomezinho
Obra
Opúsculo
Orelha
Aurícula, orelhinha
Órfão
Orfãozinho
Ovo
Ovinho, óvulo
Pazinha
País
Paisinho
Parte
Partícula
Pássaro
Passarinho
Pezinho
Pele
Película
Pires
Piresinho
Porção
Porciúncula
Praia
Praiazinha, prainha
Quadra
Quadrinha
Questão
Questãozinha, questiúncula
Rabo
Rabicho, rabinho
Raiz
Radícula, raizinha
Rapaz
Rapazinho, rapazito, rapazola
Rio
Riacho
Roda
Rodela
Rosa
Rosinha
Rua
Ruazinha, ruela, ruinha
Saco
Sacola
Saia
Saiote
Dareia
Sereiazinha
Sítio
Sitiozinho
Tio
Tiozinho
Verso
Versículo
Véu
Veuzinho
Via
Viela
Xícara
Xicarazinha, xicrinha

- Observações:
1. Uma palavra feminina pode mudar para o masculino no grau aumentativo. Por exemplo: a caixa – o caixão, a casa – o casarão.

2. Em vez de indicar tamanho menor, o diminutivo pode expressar carinho. Por exemplo: mãezinha, paizinho.